ECONOMIA

PELA PRIMEIRA VEZ EM MUITO TEMPO, TODA A EUROPA ESTÁ CRESCENDO

Publicado por Leandro Silva em 15/02/2017 às 18h36

PELA PRIMEIRA VEZ EM QUASE UMA DÉCADA, TODA A EUROPA ESTÁ  VENDO AS SUAS ECONOMIAS CRESCENDO 

Fazia tempo que a projeção de crescimento europeia não era tão boa, mas há riscos no horizonte que podem colocar tudo a perder

São Paulo – Pela primeira vez em quase uma década, todos os 28 membros da União Europeia estão vendo suas economias crescerem e têm a expectativa de que isso continue ao longo de 2017 e 2018.

O diagnóstico foi feito no relatório de inverno da Comissão Europeia, lançado no início desta semana.

“O PIB real na zona do euro cresceu por 15 trimestres consecutivos, o emprego está crescendo em um ritmo robusto e o desemprego segue caindo, ainda que continue acima dos níveis pré-crise”, diz o texto.

Em 2009, todos os países do bloco tiveram crescimento negativo. Em 2014, já eram apenas três. Em 2015, só a Grécia continuava em recessão – da onde saiu ano passado, ainda que de forma frágil.

A expectativa é que o crescimento na UE tenha sido de 1,9% em 2016 e caia ligeiramente para 1,8% neste ano e no próximo.

O número agregado esconde grandes diferenças. Entre os piores crescimentos de 2016 estão Grécia (0,3%), Itália (0,9%), França (1,2%) e Portugal (1,3%).

Já a lista de países em situação mais robusta inclui Espanha (3,2%), Eslováquia (3,3%), Irlanda (4,3%) e Romênia (4,9%).

Fatores

O relatório nota que o maior motor da recuperação europeia será o crescimento do consumo privado puxado pela queda do desemprego.

Outro fator positivo é que passou o medo de que a Europa entrasse em uma espiral deflacionária difícil de ser rompida.

A queda dos preços de energia se dissipou e a inflação na UE deve passar dos 0,3% em 2016 para 1,8% em 2017 e 1,7% em 2018 – abaixo mas próximo de 2%, exatamente como define a meta.

Há também uma expectativa de estímulo fiscal nos Estados Unidos, o que deve levar a taxas de juros mais altas e apreciação do dólar.

Junto com recuperação dos emergentes e um euro mais fraco, isso significa uma Europa mais competitiva e com mais oportunidades de exportação.

Isso, é claro, se não houver turbulência extrema no comércio internacional – uma possibilidade a ser contemplada, dada a retórica protecionista e ameaças de alta de tarifas feitas pelo governo Trump.

Riscos

Muita coisa também pode dar errado. O processo de saída do Reino Unido da União Europeia começa oficialmente em março e só deve ser concluído em 2019 – até lá, serão muitos transtornos.

A economia britânica tem sido resiliente até agora, mas deve sofrer com a perda de acesso ao mercado europeu. A previsão é que o crescimento caia de 2% em 2016 para 1,5% em 2017 e 1,2% em 2018.

Também preocupa o fato de que a direita antieuropeia esteja bem posicionada nas pesquisas para as eleições presidenciais de 2017 – especialmente na França e na Holanda, com risco menor na Alemanha.

Segundo o banco francês BNP Paribas, o risco maior para o bloco é uma Itália afetada por “falta de reformas, crescimento fraco, um setor bancário problemático e alta dívida governamental”.

Um relatório recente da consultoria PwC projeta que a Europa será a maior perdedora em peso econômico no longo prazo: de 15% do PIB mundial hoje para 9% em 2050.

A Itália cairia de 12º para 21º no ranking das maiores economias por paridade de poder de compra.

 

*Da Redação do BLOG CAMOCIM NEWS

*com informações da Revista Exame

 

Categoria: ECONOMIA
Compartilhar

DÓLAR OPERA EM QUEDA, ABAIXO DE R$ 3,30

Publicado por Leandro Silva em 23/12/2016 às 11h13

DÓLAR OPERA EM QUEDA NESTA SEXTA-FEIRA, ABAIXO DE R$ 3,30

Na semana, o dólar acumula queda de 2,69% frente ao real.

O Dólar opera em queda nesta sexta-feira (23), mantendo o ritmo das últimas quatro sessões, em dia de expectativa de volume ainda mais fraco de negócios perto do Natal e agenda esvaziada, segundo a Reuters. Na véspera, a moeda fechou abaixo de R$ 3,30 pela primeira vez em um mês e meio.

Às 10h10, a moeda norte-americana caía 0,78%, vendida a R$ 3,2734. Veja cotação.

Acompanhe a cotação ao longo do dia:
Às 9h09, queda de 0,64%, a R$ 3,2780.

Na véspera, o dólar caiu 0,98%, a R$ 3,2993 na venda. Na semana, o dólar acumula queda de 2,69% frente ao real e, no mês de dezembro, 2,59%. No acumulado do ano, a moeda tem desvalorização de 16,4%.

O Banco Central não anunciou intervenções no mercado de câmbio, pelo menos por enquanto. Ele atuou a última vez no dia 13 de dezembro, por meio de leilão de linha, venda de dólares com compromisso de recompra.

 

*Da Redação do BLOG CAMOCIM NEWS

*com informações do G1

 

Categoria: ECONOMIA
Compartilhar

EMPRESA LANÇA SHAMPOO PARA BARBA BRANCA

Publicado por Leandro Silva em 09/12/2016 às 12h09

EMPRESA LANÇA SHAMPOO ESPECIAL PARA BARBA BRANCA “TESTADO POR PAPAI NOEL”

Papai Noel também é vaidoso. Para manter uma barba macia e branquinha, ele precisa usar um shampoo especial. Pelo menos segundo a Sobrebarba, marca de produtos que lançou, aproveitando o clima natalino, um produto voltado para quem tem os fios brancos.

A empresa diz ter testado o produto com a ajuda de Papais Noéis. "Quem tem a barba branca sabe o quanto ela pode ficar amarelada com o tempo, e manter a cor natural não é tarefa fácil", informa a Sobrebarba.

O shampoo para a barba é diferente, segundo a marca, dos shampoos convencionais, pois é feito para ser usado no rosto. O produto "Especial Noel", voltado para fios brancos, tem edição limitada até durarem os estoques e preço sugerido de R$ 39, com 140 ml.

O produto é feito com extrato de chá verde, malva e óleo de calêndula e, segundo a empresa, ajuda a evitar o amarelamento da barba.

 

*Da Redação doBLOG CAMOCIM NEWS

*Com Informações do UOL, em São Paulo

 

 

Categoria: ECONOMIA
Compartilhar

BANCO DO BRASIL ANUNCIA FECHAMENTO DE 402 AGÊNCIAS

Publicado por Leandro Silva em 22/11/2016 às 17h31

BANCO DO BRASIL ANUNCIA FECHAMENTO DE AGÊNCIAS E PLANO DE APOSENTADORIA 

Segundo o banco, 402 agências serão desativadas. 
Plano de aposentadoria incentivada prevê atingir 18 mil funcionários.

 
O Conselho de Administração do Banco do Brasil aprovou neste domingo (20) um conjunto de medidas de reorganização institucional, que será implementado ao longo do próximo ano, que prevê o fechamento de agências e um plano de extraordinário de aposentadoria incentivada, disse o banco estatal em fato relevante.
 
Após a reorganização da rede de atendimento, 379 agências serão transformadas em postos de atendimento e 402 serão desativadas, disse o banco, acrescentando que as mudanças não vão comprometer a presença da instituição nos municípios em que atua.
 
"A economia anual com despesas administrativas, exceto pessoal, é estimada em 750 milhões de reais, sendo 450 milhões de reais decorrentes da nova estrutura organizacional e R$ 300 milhões da redução de gastos com transporte de valores, segurança, locação e condomínios, manutenção de imóveis, entre outras", disse o banco.
 

Aposentadoria incentivada
Também foi aprovado um plano de aposentadoria incentivada, com período de adesão voluntária até 9 de dezembro, que tem como público alvo 18 mil funcionários que já reúnem as condições para se aposentar. O BB disse que vai divulgar o impacto financeiro do plano de aposentadoria incentivada após o período de adesão.

Para incentivar a adesão, o banco vai oferecer valor correspondente a 12 salários, além de indenização por tempo de serviço, que varia de 1 a 3 salários, dependendo do tempo de empresa. O período de adesão ao plano vai até 9 de dezembro. Depois disso, o banco vai divulgar o impacto financeiro do plano.

O BB também vai oferecer redução de jornada de 8 para 6 horas diárias a 6 mil assessores da direção geral e superintendências, com objetivo de diminuir em 16,25 por cento o salário médio.

Simultaneamente ao processo de redução de agências, o banco pretende abrir 255 unidades de atendimento digital em 2017. Com isso, o banco espera elevar dos atuais 1,3 milhão para 4 milhões o número de clientes atendidos por esse canal até o fim do ano que vem.

"As medidas anunciadas não impactam as projeções (Guidance) divulgadas para 2016", disse o Banco do Brasil.

Rentabilidade
Como resultado da malsucedida campanha do governo federal de usar os bancos públicos para ampliar a oferta de crédito na tentativa de reanimar a economia, o BB tem agora enfrentado perdas crescentes com calotes.

A rentabilidade do BB sobre o patrimônio, que mede como os bancos remuneram o capital do acionista, foi de 9,6% no terceiro trimestre, queda de 4,6 pontos percentuais sobre mesma etapa do ano passado. Assim, o BB piorou pela segunda vez no ano a previsão de rentabilidade em 2016, de 9 a 12% para 8 a 10%.

Para comparação, o índice do Bradesco no terceiro trimestre foi de 17,6%, enquanto o do Itaú Unibanco chegou a 19,9%.

"Não estamos satisfeitos com a rentabilidade que temos hoje", disse dias atrás o diretor financeiro e de relações com investidores do banco, Maurício Coelho, ao comentar os resultados do terceiro trimestre. “Nossa meta é nos aproximarmos de índices de rentabilidade mais próximos aos de nosso rivais privados"

 

com informações do G1











Categoria: ECONOMIA
Compartilhar

AÇÕES DA EUROPA TÊM LEVE QUEDA APÓS DECISÃO SOBRE O BREXIT

Publicado por Leandro Silva em 03/11/2016 às 17h21

AÇÕES DA EUROPA TÊM LEVE QUEDA APÓS DECISÃO SOBRE O BREXIT

O índice FTSEurofirst 300 das principais ações europeias recuou 0,13%.
Libra subiu para o nível mais alto em quase quatro semanas.

As ações europeias encerraram esta quinta-feira (3) em leve queda, deixando de lado os ganhos iniciais, uma vez que a Corte de Londres dificultou o processo de Brexit, aumentando o valor da libra e colocando as ações inglesas mais negociadas no nível mais baixo em cinco semanas.

O índice FTSEurofirst 300 das principais ações europeias recuou 0,13%, a 1.306 pontos. O índice STOXX 600 encerrou praticamente estável, com leve alta de 0,01%, após oito sessões de perdas - a maior série de quedas consecutivas em mais de dois anos.

O principal índice britânico de ações foi prejudicado pelas empresas internacionalmente expostas, incluindo a Diageo, que se beneficiou da fraqueza da libra desde que o Reino Unido votou para deixar a União Europeia em junho.

A libra subiu para o nível mais alto em quase quatro semanas depois de Alta Corte da Inglaterra determinar que o governo precisa da aprovação do parlamento para desencadear o processo de Brexit, e com o Banco da Inglaterra se afastando de cortar a taxas de juros.

Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,80%, a 6.790 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,43%, a 10.325 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,07%, a 4.411 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,33%, a 16.419 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou alta de 0,07%, a 8.879 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,18%, a 4.539 pontos.

 

FONTE: G1

DA REDAÇÃO DO BLOG CAMOCIM NEWS

 

Categoria: ECONOMIA
Compartilhar

left show fwR b04s tsY bsd|tsN bsd fwB left show b20w|bsd tsN fsN fwB left hide b05s|bnull||image-wrap|login news fwB fwR tsY normalcase c10|fsN normalcase c10 fwB tsN|normalcase c10 tsY|login news fwR normalcase tsY c10|normalcase c10 fwB tsN|normalcase tsY c10|content-inner||